terça-feira, 5 de outubro de 2010

A viagem

Bom, a véspera foi meio incomum. Na verdade, eu ainda nem tinha me dado conta que iria passar por uma mudança tao drástica.
Saimos (eu, mamae e papai) de Teresina na manha do dia 23 e chegamos em Fortaleza pela tarde do mesmo dia. Comemos e depois dormimos.
No dia 24 (dia da viagem) eu acordei meio nostálgica, pensando no que iria me fazer falta quando eu estivesse na Espanha. Passei o dia todo com a cabeça a mil por hora, acertando os últimos detalhes para a viagem, fazendo as últimas coisas no Brasil.... Comprando as últimas coisas, comendo a última comida, tomando o último banho etc e tal... (Tomando o último banho no Brasil, ok? Diferente de alguns espanhóis, eu tomo banho todos os dias!)
Meu embarque seria às 20:00 horas, mas eu fui orientada a chegar com, pelo menos, 3 horas de antecedência, entao, às 17:00 horas estava eu lá no aeroporto, fazendo o check in e despachando as malas.
As horas passaram voando e o sitema interno de som do aeroporto anunciou a chamada para o voo 0166 TAP Fortaleza - Lisboa... Era hora de ir e cruzar o Atlântico. Mas nao sem antes ouvir as palavras e os alertas da mamae e do papai... "Presta atençao", "Cuidado com o passaporte", "Nao deixa de ler a bíblia e orar todos os dias", "Nós te amamos"...
Adentrar a sala de embarque foi um dos momentos mais difíceis para mim. Ter que deixar meus pais do outro lado da contençao foi marcante.
Na sala de embarque, em meio a tantos gringos, encontrei uma brasileira que começou a conversar comigo e falar como era a Europa e coisa e tal. Por um momento fiquei menos tensa.
Quando começaram a chamar os passageiros, me coloquei na fila que demorou séculos pra andar! Nem lembro o que eu pensei no caminho até o aviao. Entrei, procurei meu assento e, para minha surpresa, a cadeira ao meu lado nao foi ocupada.
O voo sobre o Atlântico foi tranquilo, sem muitas turbulências. Claro que eu nao consegui dormir porque eu tenho sério problemas de insônia durante viagens. Assisti a vários filmes e li um pouco do livro que meus amigos boleiros me deram como presente de aniversário (O Retorno - Victoria Hislop) [obrigada, miguxos]/emo.
Cheguei em lisboa às 7:05 com cinco minutos de atraso. No aeroporto de Lisboa era só eu, Deus e minha mochila. Custei a acreditar que estava realmente no outro lado do Atlântico, na Europa! Era verdade.
Peguei um ônibus pra chegar do aviao ao aeroporto e , logo ao chegar, ouvi um tio gritar com um sotaque lusitano carregadísssimo: "Fila para brasileiro! Fila para brasileiro!", entao, eu saí apressadamente pra fila pensando "Ops, essa é minha fila"...
Entrei na tao temida "fila da imigraçao" e demorou uns vinte minutinhos pra chegar a minha vez. O tio da fiscalizaçao só perguntou o motivo da minha viagem, onde e quanto tempo eu ia ficar na Espanha e, por fim, ele disse: "Granada é uma cidade muito linda! Aproveite!" Ufa! Isso foi o máximo de tensao que "a fila" me propocionou!
Saí tao relaxada da fila que acabei pegando o corredor errado e caí no setor de bagagens do areoporto... Eu andei e perambulei muito até encontrar uma alma gentil que me ajudou a encontrar o lugar onde eu deveria estar. Entrei em mais uma fila. Dessa vez, a fila da revista. Os funcionários da fila da revista eram tao gentis quanto o "seu Lunga". Eles nem olhavam para as pessoas. Na verdade, eles nem se davam ao trabalho de falar, apenas balbuciavam alguma coisa e a gente tinha que adivinhar o que os caras estavam dizendo. Molecágem. Fui logo Tirando minha mochila e colocando na máquina do Raio-X. Quando já ia passar pela porta com detector de metais, o Lunga me chama e diz pra eu tirar meu casaco que, na verdade, era um cardigan sem mangas. Eu pergunto: "Como?" e ele responde com um gesto de quem tira um casaco: "O casaco, por favor." E eu tirei o "casaco" com uma cara de "como-se-desse-pra-levar-uma-bomba-em um-CARDIGAN-SEM-MANGAS!"
Depois que eu passei da revista fui esperar meu aviao. Esperei horas e horas seguidas. E quando finalmente chamaram o voo, me deparei com um teco-teco, fabricado pela EMBRAER (tinha que ser brasileiro?) e que me mal levantava voo! O engraçado é que quando a gente se deparou com o teco-teco, todo mundo ficou se entreolhando com um olhar interrogativo, mas niguém disse nada até que uma brasileira perguntou: "É nisso que a gente vai pra Barcelona?" Nessa hora todo mundo começou a rir descontroladamente...
Graças a Deus, cheguei em Barcelona em segurança. O aeroporto é bem grandinho, cheio de lojas de todo tipo, parece um shopping. Se você bobear olhando as coisas, até perde o voo.
O meu voo Bracelona - Granada era pra sair às 08:00 horas, entao, eu relaxei e até dormi um pouco numas cadeiras meio desconfortáveis. Quando eu acordei, estava falatando meia hora para meu voo. Fui olhar no painel o portao do voo e lá constava "portao C", porém no aeroporto de Bracelona existe até o portao C72, portanto, a informaçao "portao C" nao era exatamente o tipo de precisao que estava querendo. Diante isso, o jeito foi ir no balcao de informaçao e tentar falar espanhol até descobrir em que portao eu devia ficar esperando. Falei com o carinha e ele disse: "Ainda nao temos a informaçao, pois a aeronave está atrasada, mas você pode ficar esperando em frente ao painel até o portao ser confirmado." Eu olhei para ele e falei no bom e velho português: "COMO É QUE É?" E vocês acreditam que o cara me respondeu de novo a mesma coisa? Tudo bem ele nao saber o que era uma pergunta retórica, mas daí ele pensar que eu ia mesmo ficar meia hora em pé olhando pra um painel? Tá de brinks, né? Voltei pra cadeirinha desconfortável e fiquei esperando. Quinze minutos depois, eu resolvi checar o painel e: "VOO 6624- Barcelona-Granada- Gate C72- LAST CALL" Como assim "última chamada"? Como, em quinze minutos, um voo passou do estado de "atrasado" para "ultima chamada"? E o pior, "Portao C72"!!! Saí correndo feito uma louca pensando que tinha perdido o aviao e que o maricón do balcao de informaçoes estava, no fim das contas, certo. Ao chegar no portao C72 morta de ofegante, a mulher disse que a aeronave nao tinha chegado ainda, ou seja, o maricón era um idiota e eu estava certa. Que alívio.
Fiquei meia hora esperando o aviao, meia hora fazendo uma espécie de check in e meia hora dentro do aviao parado, por que a torre de comando nao tinha dado o comando pra o aviao decolar. Agora me explica: pra que serve uma torre de comando que nao dá comando? Má vá! Só em Barcelona mesmo.

A história da chegada em Granada fica para outro post. Agora tenho que arumar as malas. Amanha tô indo pra Madrid visitar a Jéssica, uma amiga querida que veio na mesma época que eu pra estudar direito na Universidade Européia de Madrid. Que chique!

9 comentários:

laracipriano disse...

É impressão minha ou as coisas na Espanha são tão bagunçadas quanto no Brasil? XD
Atualiza mais, Lay! Saudades :*

Lay disse...

Nao é impressao tua! A Espanha é uma espécie de Brasil, com cara de Europa, onde se fala espanhol.

Ribeiro disse...

Lembrei da minha partida solitária no aeroporto de Fortaleza.

Mara Dallenna disse...

Lay, e esse último parágrafo dizendo que vai para Madrid é pra gente terminar de se rasgar aqui, né?! rsrsrs...
Que bom que deu tudo certo!
Vai atualizando!
Bjokas!
;)

cleonice disse...

Vc tá igual a novela da globo deixando o melhor para próxima... O que mas eu queria saber era a chegada. Isso é maldade!!!

Lanna Lorenna disse...

Aii Layyy, finalmente algo para nós.... + AINDA É POUCOO!!!Minha nossa senhora da bicicletinha dai me equilibrio! Nãa Lay hablando en serio tem que pelo - postar dia sim dia não! Sauuudaaade!

larysse disse...

HUMMM...
posta logo o resto.
A gente é tão acostumado a mamãe fazer tudo,que fika dificil passar por tudo isso,né?

xeruu.

Liliane disse...

Adorei a descrição da novela: "As peripécias de Layana Mayra in La Espanha" Fiquei imaginando cada passo teu e tuas caras e bocas em cada situação rsrsrsrs. Saudadeeeee

Liliane disse...

Adorei a descrição da novela: "As peripécias de Layana Mayra in La Espanha" Fiquei imaginando cada passo teu e tuas caras e bocas em cada situação rsrsrsrs. Saudadeeeee